Comunicado conjunto

Em votação histórica, a Assembleia Geral da ONU reconheceu, por esmagadora maioria, a Palestina como Estado observador não-membro. O documento encaminhado à votação destaca “o direito do povo palestino à autodeterminação e à independência dentro de seu Estado, nos territórios palestinos ocupados desde 1967”. A Assembleia Geral também expressou a esperança de que o Conselho de Segurança encampará a reivindicação dos palestinos para que seu Estado ganhe o status de membro pleno da ONU.

A diretoria da ASA, em conjunto com outras entidades, não poderia se omitir nesse momento. Por isso, tornamos público o comunicado abaixo.

Rio de Janeiro, 3 de dezembro de 2012

As instituições abaixo-assinadas saúdam a inclusão da Palestina como Estado observador não-membro da ONU. Entendemos que esse é um passo muito significativo para a constituição de um Estado palestino soberano e independente, indispensável para se alcançar uma paz duradoura no Oriente Médio.

A fórmula Dois povos, dois Estados é uma ideia-força, que, se implementada, permitirá o desenvolvimento de palestinos e israelenses nas fronteiras de seus Estados nacionais.

No Oriente Médio, a paz é revolucionária. Com ela, o reconhecimento mútuo, baseado em acordos que levem em consideração as fronteiras anteriores à guerra de junho de 1967, poderá trazer segurança, estabilidade e desenvolvimento tanto para o Estado de Israel como para o futuro Estado da Palestina.

Repudiamos alternativas militaristas, que carregam no ventre formas inaceitáveis de supremacia. Defendemos respostas políticas abrangentes, que respeitem identidades, histórias e perspectivas de futuro.

ASA – Associação Scholem Aleichem de Cultura e Recreação (Brasil)

Associação Kinderland (Brasil)

ICIB – Instituto Cultural Israelita Brasileiro (Brasil)

ICUF – Ídisher Cultur Farband (Argentina)

Instituto Casa Grande (Brasil)

Meretz (Israel)

Meretz (Brasil)

Jornal Algo a Dizer (Brasil)

Grupo Tortura Nunca Mais (Brasil)

Seja o primeiro a comentar