Boca no Trombone – Evitar que a dor fertilize mais dor

O sequestro e assassinato de três jovens estudantes israelenses é um crime que merece condenação incondicional. Nenhuma causa política pode justificar um ato de tamanha covardia. Os que tramaram e executaram o crime não apenas enlutaram três famílias, mas atingiram gravemente as esperanças de israelenses e palestinos num futuro pacífico e de convivência civilizada.

Os três jovens agora integram uma grande e macabra lista de vítimas de ambos os povos, mortas num conflito sangrento que se estende por mais de um século. Cada vez que se vislumbra uma possibilidade de entendimento, grupos intransigentes de ambos os lados sabotam como podem a aproximação. Foi essa estupidez que armou a mão do fanático judeu que assassinou Itzhak Rabin. É ela que fortalece a ocupação ilegal de terras palestinas. É também ela que aposta em atentados contra civis como forma de se chegar à autodeterminação nacional. Urge abortar esta espiral de violência, que só tra z mais sofrimento, e reconhecer que não há solução militar para o conflito israelense-palestino.

Neste momento trágico, manifestamos nossa solidariedade às famílias enlutadas e conclamamos as partes envolvidas a evitarem uma escalada bélica, que só resultaria em novos banhos de sangue. Apesar da dor legítima e de todas as imensas dificuldades, é preciso, agora e sempre, repetir: somente a paz negociada entre israelenses e palestinos pode varrer, de uma vez por todas, as guerras, retaliações e vinganças.

Rio de Janeiro, 1 de julho de 2014

Diretoria da ASA – Associação Scholem Aleichem de Cultura e Recreação

Seja o primeiro a comentar