Pela liberdade de expressão

Slide1Um incidente grave marcou o Festival de Dança Israeli, realizado na Hebraica nos dias 1° e 2 de dezembro. No primeiro dia, um grupo de jovens do movimento Hashomer Hatzair exibiu no  local do evento uma faixa com as bandeiras de Israel e da Palestina  ao lado da proposta Dois Estados, Dois Povos, reivindicada por expressivos segmentos das comunidades judaicas dentro e fora de Israel para resolver o conflito entre os dois povos. No segundo dia, o presidente do clube sugeriu, gentilmente, que, em vez do ginásio, o grupo expusesse a faixa no pilotis, o que foi feito.

A maioria dos que passaram pela faixa do Hashomer reagiu de forma civilizada. Contra ou a favor, optaram pelo respeito. No entanto, gente desabituada à democracia usou truculência, tentando arrancar a faixa do local e agredindo, covardemente, os jovens do Hashomer. Era o espírito falangista em ação.

O argumento de que a imagem da bandeira da Palestina constrangia o público não justifica censura ou violência. Ela é símbolo de um povo, que acaba de ser reconhecido como Estado observador na ONU. A solução do conflito com Israel passa por uma negociação, difícil, mas indispensável, entre duas narrativas nacionais.  O Hashomer nada mais fez do que exibir, publicamente, uma opinião.

A diretoria da ASA condena toda tentativa de cassar o direito à livre expressão de ideias e se solidariza com o movimento Hashomer Hatzair contra as agressões sofridas e pela iniciativa de fugir do oficialismo, trazendo, para dentro da comunidade judaica, um tema considerado quase tabu.

 Imagem1

Desejamos a todos um 2013 criativo, carregado de boas realizações e germinador de um mundo mais solidário.

Boletim nº 140 – janeiro/fevereiro de 2013 – Ano 24

Seja o primeiro a comentar