O esvaziamento da comunidade

FIERJ_Executivo-Jayme Salim Salomão,pres, Anna Bentes  Bloch,vice , Gerson Hochman,vice

Jayme Salim Salomão e os vices Anna Bentes Bloch e Gerson Hochman

No dia 23 de setembro, a nova Diretoria Executiva e o Conselho Deliberativo da Federação Israelita do Estado do Rio de Janeiro-FIERJ tomaram posse em cerimônia realizada no Templo Sidon.  Eleito em chapa única no mês anterior, o presidente Jayme Salim Salomão foi vice por quatro anos. Há 21 anos é presidente da Sinagoga Beiruthense, tendo ocupado a presidência também do Cemitério Comunal Israelita por dois mandatos. O Boletim ASA fez a Jayme Salim Salomão, por e-mail, as perguntas que seguem. As respostas estão na íntegra.

O presidente Jayme Salim Salomão
e seus vices Anna Bentes Bloch e Gerson Hochman

ASA – Por que resolveu candidatar-se à presidência da FIERJ?
Jayme Salim Salomão – Nesses anos de atuação como voluntário, passei por diversos tipos de entidade, acumulando experiências e atuando em posições de liderança. Por isso, acredito que estou pronto para exercer bem a função de presidente da FIERJ.

ASA – Quantos judeus a FIERJ representa?
JSS – Temos de reconhecer o enorme esforço das diretorias anteriores no sentido de quantificar a nossa comunidade. Atualmente, estimamos que haja entre 25 mil e 28 mil judeus no Rio.

ASA – Seu programa de campanha centrou-se no tripé Torá, Avodá e Guemilut Hassadim. Na prática, como pretende implementar estas intenções, junto às federadas e aos judeus do Rio?
JSS – Há alguns pontos que são parte do eixo principal do trabalho que propomos realizar junto às entidades federadas e aos judeus do Rio. Entre eles estão  o respeito total à nossa tradição, cultura e religião; a necessidade de compreender as dificuldades financeiras das pessoas e instituições; a inclusão de todas as parcelas comunitárias; e o apoio permanente às instituições culturais e às atividades coletivas comunitárias, em especial as de caráter político, cultural e voltadas à juventude.

ASA – Desde as eleições de 2006, a participação da comunidade judaica nas eleições da FIERJ tem caído seguidamente. Os 1.400 eleitores desta última eleição significam menos quase 30% com relação à de 2010. A que atribui essa queda? Tem planos para reverter esta situação?
JSS – Infelizmente, há um esvaziamento da vida comunitária de uma forma geral. Por isso a importância de atuarmos diretamente junto às instituições ligadas à FIERJ. Vamos implementar um plano para reverter este processo.

ASA – Em abril deste ano, o Executivo da Federação apresentou um Plano de Governança da FIERJ. Quais são os principais pontos desse plano? Em que estágio se encontra sua implementação?
JSS – Este plano está sendo novamente analisado por uma comissão da FIERJ.

ASA – Como avalia a participação das entidades federadas nas decisões que afetam toda a comunidade? Tem algum projeto para ampliar esta participação?
JSS – A FIERJ é um organismo político, que congrega e coordena as instituições judaicas do nosso Estado. A representação política para fora da comunidade é importante. Porém, sem descuidar desta ação externa, vamos dar prioridade para dentro de nossa comunidade. Sabemos da importância da participação das federadas nas decisões que afetam a comunidade. Tanto que o lema da nossa campanha foi “Um olhar para dentro de nossa comunidade”. Vamos estar presentes diariamente junto às nossas instituições.

ASA – Quais são suas prioridades neste início de gestão?
JSS – Neste momento, estamos focando em ações voltadas para dentro de nossa comunidade, em razão dos enormes desafios que hoje se colocam. Vamos enfrentá-los com total dedicação.

Boletim nº 139 – novembro/dezembro de 2012 – Ano 23

Especial para ASA

Seja o primeiro a comentar