Diálogo em andamento

Slide1

editorial139ASA iniciou em setembro uma série de debates sobre o tema “As esquerdas e o antissemitismo” (ver em Novidades). Uma razão importante nos levou a tomar essa iniciativa. De uns tempos para cá, várias mídias de partidos e organizações de esquerda, no Brasil e no exterior, publicaram matérias de conteúdo vicioso, recheadas com surrados clichês antissemitas. A pretexto de criticar Israel e o sionismo, articulistas e militantes escorregam no antissemitismo mais primitivo, aquele que o socialista alemão August Bebel definiu como “o socialismo dos imbecis”. Adotando essa postura, renunciam ao marxismo e à análise materialista, e caem no pântano das teorias conspiratórias e do preconceito.

Que fique claro: criticar Israel e o sionismo é absolutamente legítimo. Assim como é legítimo criticar qualquer país e corpo estruturado de ideias. Essa é uma liberdade elementar e a ela não devemos renunciar. O que não se pode admitir é o ódio contra um povo, usando como biombo as críticas a um país e seu fundamento nacional-filosófico. Isso desonra as melhores tradições libertárias da esquerda.

Nunca é demais lembrar que muitos judeus, individualmente ou filiados a partidos e organizações de massa, participaram intensamente das lutas pelo socialismo, desde o século 19. Foram teóricos, dirigentes e ativistas que lutaram pela emancipação do homem, contra a opressão do capital.

A relação entre a esquerda e os judeus sempre foi complexa, carregada de paixão e ódio, sujeita a altos e baixos. Hoje, entre outras razões, pelos desdobramentos das crises no Oriente Médio, ela está abalada. Como um dos protagonistas desta história, a ASA considera urgente que se fortaleça um canal de diálogo que apare arestas e permita um avanço na luta contra todos os tipos de discriminação. Essa convicção nos anima a prosseguir nos debates iniciados em setembro. No próximo dia 11 de novembro, debaterão o representante do PSOL Milton Temer e o professor da História Frederico Falcão. A entrada é franca.

Na imagem: anúncio em ídish conclama “Trabalhador, o seu jornal é o Folks-tsaitung (literalmente jornal do povo, da Polônia pré-guerra).

Seja o primeiro a comentar