Os judeus italianos

Apesar da grande diversidade entre os grupos judaicos, a maioria dos judeus não se dá conta do multicolorido cultural das diversas comunidades da Diáspora. Geralmente são mais conhecidos os costumes dos judeus ashquenazim e sefaradim, tidos como paradigmáticos das culturas judaicas europeia e oriental. O fato, porém, é que cada um desses grupos se ramifica em diversos subgrupos. Há, por exemplo, os ashquenazim  de rito alemão e as variantes originadas na Europa Oriental, como a lituana e a hassídica ou polonesa. No mundo sefaradi acontece o mesmo, e ao lado dos  sefaradim portugueses de Amsterdã, de Londres e de Nova York , que têm  notável  influência ocidental, existem aqueles cujos costumes e rituais sofrem maior influência da cultura árabe, como os egípcios, os marroquinos e os levantinos. Nessas variações, um estilo comum, uma coerência interna, permite sua classificação como ashquenazi ou sefaradi. Há, porém, grupos cuja cultura e rituais fogem dessa classificação, por exemplo, os judeus iemenitas, os judeus gregos romaniot, iranianos, indianos e muitas comunidades de judeus italianos. Cada um  mantém tradições que lhe são peculiares tanto nos costumes e ritos domésticos como na ordem das tefilot e sua redação, na musicalidade, ou ainda quanto à disposição arquitetônica das sinagogas, sendo essas peculiaridades sensivelmente diferentes dos dois grandes grupos mais conhecidos.

Placa de Sinagoga, Roma

Placa de Sinagoga, Roma

Da Sicília para o norte
O pesquisador Amós Luzzatto, em seu texto Le Tradizioni Degli Hebrei Italiani, caracteriza com muita precisão as comunidades judaicas na Itália como um kibutz galuiot, ou seja, uma identidade judaica formada pela reunião, através das épocas, de diversos grupos culturais judaicos que buscaram a Península como refúgio. O estrato mais antigo é o grupo chamado de italiano ou bnei Roma, que tem suas origens na comunidade estabelecida na Península Itálica ainda antes do Império Romano. Sua língua original, como atestam as diversas inscrições em cemitérios e catacumbas judaicos do período, era o grego. É bem possível que já no fim da Antiguidade falassem um latim tardio e a partir do período medieval tenham passado a expressar-se em diferentes dialetos judaico-italianos, como o falado pelos jude us no Gueto de Roma. Durante o período medieval, o centro deste grupo era o sul da península e a Sicília. Durante o século 16, décadas após o decreto de expulsão dos judeus dos reinos espanhóis pelos reis católicos  Fernando e Isabel, dá-se  também a saída em massa  de judeus do sul da Itália, então possessão espanhola. Este é, aliás, um fato muito pouco conhecido, pois, ainda que se fale muito sobre a expulsão dos judeus de Sefarad, pouca menção é feita ao deslocamento dos judeus habitantes do Reino de Nápoles. Uma das razões é que, em grande parte, esses grupos se deslocaram dentro da própria Península Itálica, na direção norte, encontrando os ashquenazim que haviam imigrado para a Itália durante o período das Cruzadas e da Peste Negra em suce ssivas ondas. Também encontraram muitos refugiados espanhóis e portugueses que haviam se abrigado em várias cidades italianas, como Veneza, Livorno, Pisa e Roma. E recentemente, nos últimos cinquenta anos, registrou-se o estabelecimento de judeus vindos da Líbia. Esta é a razão de haver atualmente na Itália sinagogas de ritosashquenazisefaradi e italiano convivendo lado a lado, como é possível notar, por exemplo, no Gueto de Veneza.

Borguetto
Aliás, foi o bairro judaico de Veneza o primeiro local que recebeu o nome de Gueto. Segundo algumas fontes, esse nome é originário do termo borghetto, que significa cidadela, pois o gueto era como uma cidade ao lado de Veneza. Outras fontes ligam o nome a uma fundição que existia nas proximidades do bairro judaico. O fato é que ghetto é a palavra italiana que designa em geral os bairros judaicos históricos em diversas cidades. Somente com a unificação do país, processo que durou décadas e  foi concluído em 1870, os judeus patriotas de primeira hora tiveram seus direitos de cidadania plenamente reconhecidos em todo o país e saíram para sempre dos guetos. Desde então, passaram a conviver normalmente no seio da sociedade. Essa convivência é fruto de um processo secular. Lembremos que a primeira e, durante sécu los, única universidade europeia a aceitar judeus foi a de Padova. Durante a Primeira Guerra Mundial, os judeus foram voluntários de primeira hora. Uma carreira judaica usual costumava ser a de oficial do exército ou da marinha. Muitos judeus têm participado da vida italiana como intelectuais, cientistas e artistas. Esta convivência fica clara nos nomes das famílias italianas de origens tão variadas, ainda que haja uma clara predominância de sobrenomes italianos entre os judeus vindos do sul ou de outros grupos que italianizaram seu sobrenome, como mostra um levantamento feito em 1938 pelo Keren Haiessod compreendendo 9800 famílias e cerca de 1650 sobrenomes. Este dado não é apenas uma curiosidade, mas também a demonstração de certa preponderância das tradições judaicas italianas, que se refletem ainda hoje nos rituais sinagogais predominantes naquele país.

Gueto de Roma

Gueto de Roma

Disposição bipolar
Arquitetonicamente, o que caracteriza a sinagoga italiana? Muitos poderão pensar na suntuosidade e no requinte que se observam até mesmo nas pequenas sinagogas. Mas, em termos da disposição interior do espaço, há um dado muito peculiar e virtualmente único: em muitas sinagogas, a tevá, o púlpito, o local onde se lê a Torá e de onde se conduz a reza, está colocada no lado oposto ao Aron Hacodesh, de tal forma que o hazan, o cantor litúrgico, fica a um só tempo de frente para o Aron Hacodesh e  para a congregação. Nem todas as sinagogas na Itália são assim, mas essa disposição é apenas encontrada nas sinagogas italianas. Poderíamos chamá-la de disposição bipolar. É uma solução bem mais interessante do que a de várias sinagogas libe rais, onde a bimáestá de frente para o público, porém, de costas para o local onde se guardam os rolos da Torá.

Com relação à ordem das tefilot e sua redação, o Sidur italiano é muito próximo do Sidur sefaradi, mas também guarda diferenças muito interessantes. Vejamos o exemplo de dois sidurim do ritual romano. O primeiro, mais antigo, compilado pelo rabino David Panzieri, e um mais recente, do rabino e professor David Prato. Em ambos podemos encontrar sequências e redações semelhantes, ainda que no segundo haja claramente uma modernização e um enxugamento do ritual, que o próprio autor reconhece: “Quem autorizou os cortes e a adaptação [do Sidur] aos tempos? Ninguém e todo mundo, ou melhor, o povo.” Desta forma,  David Prato reconhece a evolução pela qual tem passado o ritual, algo que poderia ser dito de todo ritual judaico na modernidade. Na verdade, isto é um indício para se entender a mentalidade da comunidade italiana, comprometida com a tradição e ao mesmo tempo  inserida no mundo contemporâneo.

Gueto de Veneza

Gueto de Veneza

“Louvado seja o Eterno”
Logo no início do Sidur, na parte da tefilá matutina, nas bênçãos do alvorecer, encontramos uma redação interessante. Geralmente, nos sidurim sefaradim e ashquenazim ortodoxos, há a bênção cuja redação diz “Louvado seja o Eterno que não me fez gentio [gói]”. Nos sidurim italianos, porém, a mesma bênção é formulada de modo positivo — “Louvado seja o Eterno que me fez pertencente ao povo de Israel” —, sem se referir ao não judeu de modo pejorativo. Reflete, possivelmente, uma maior tolerância para com a sociedade maior. Não podemos esquecer que na Itália os judeus foram, em geral, bastante bem acolhidos ao longo dos séculos, apesar de ter havido momentos tensos, particularmente antes e durante a Segunda G uerra, quando, em virtude das infames leis raciais de Mussolini, um grande número de judeus foi obrigado a deixar o país ou se esconder. Muitos dos que ficaram terminaram sofrendo o destino de seus irmãos de outros países europeus, sendo inclusive deportados para os campos de extermínio. Um relato lúcido e muito contundente desse momento é feito pelo escritor Primo Levi. Dentre os judeus que deixaram a Itália nesse período, cerca de cem famílias conseguiram vir ao Brasil em 1938 e 1939.
O serviço de Cabalat Shabat italiano é mais enxuto do que em outros rituais —  também  um sinal das transformações e das modernizações pelas quais passou a comunidade judaica na Itália. Enquanto o Sidur do rabino Panzini apresenta todos os salmos, o Sidur mais recente, de David Prato, esclarece que somente em algumas comunidades se faz a recitação de todos os salmos no Cabalat Shabat.
Gostaria de chamar a atenção para outros rituais únicos. O da Mishmará, para dar nome hebraico a uma menina, tem sua contrapartida sefaradi tradicional no ritual de Zeved Bat. No rito ashquenazi tradicional, o pai ou o avô apenas recebem uma aliá à Torá, sem a presença da menina na sinagoga, e na bênção Misheberah a menina recebe o nome. Mais recentemente, nos rituais não ortodoxos, apareceu o Simhat Bat, que é decalcado na cerimônia de Berit Milá, mas isto é algo mais contemporâneo. Outra particularidade italiana interessante é oBircat Mazon Per Bambini, uma fórmula mais curta criada para ser recitada pelas crianças.

Bacala alla livornese
Há várias outras peculiaridades no ritual italiano, mas estes exemplos já  demonstram o quão único ele é,  não podendo ser reduzido a nenhuma das outras categorias (sefaradi ou ashquenazi), e o quanto foi influenciado por e influenciou os outros rituais.
Se no Sidur italiano há uma grande proximidade com o rito sefaradi, a musicalidade da sinagoga italiana é certamente europeia em seu estilo, ainda que as melodias cantadas em Roma e outras cidades italianas sejam bastante diferentes das melodias dos ashquenazim: aqui a influência cultural mais geral da cultura italiana se faz sentir. Há algo de remotamente bizantino, notando-se a presença de melodias mais recentes, renascentistas e barrocas. Isto sim, único, entre todos os rituais judaicos.
Para aqueles que não se interessam tanto pelos ritos sinagogais ou domésticos, outra particularidade muito interessante e saborosa da cultura judaica italiana é sua culinária rica dentro da rica culinária italiana. E para quem visitar Roma, é recomendado ir a um dos vários restaurantes e cafés judaicos que ficam no velho gueto, na rua de traz do Tempio Magiore. Pode-se começar provando uma carciofo a la giudaica e depois pedir um bacala alla livornese regado a um bom vinho tinto.

Boletim nº 138 – setembro/outubro de 2012 – Ano 23

Especial para ASA

 

É rabino da comunidade judaica de Alphaville, na Grande São Paulo, professor da UNISAL e do programa de pós-graduação em Cultura Judaica da FFLCH-USP, pesquisador do Centro de Estudos Judaicos da USP e autor de livros e artigos sobre pensamento e cultura judaica.

105 Comentários

  • Responder junho 22, 2015

    ederson Bortolatto Nogueira

    shalom, gostaria de saber mais sobre meus patriarcas, meu bisa vó , João Batist Bortolatto chegou de Veneto para o Brasil, fugindo da inquisição Romana ,

    emigraram na Argentina , depois no Rio grande do sul. em santo angelo !

    meu vo, Osvaldo Bortolatto , ainda vive, mora no estado do Parana , ainda ele mantem contatos em Veneto com seus primos.

    • Responder fevereiro 10, 2016

      Alexandre Leone

      O sobrenome Bortolatto não está registrado em nenhuma lista comunitária judaica italiana.

    • Responder abril 17, 2017

      Vinícius Cunha Silveira

      Olá Boa Noite,Gostaria de saber se os sobrenomes:Bertolini,Cunha e Silveira são de origem judaica?
      Desde já agradeço

  • Responder julho 29, 2015

    sandro rella

    cognome Rella ha qualche origine ebraica?

    • Responder fevereiro 10, 2016

      Alexandre Leone

      No, questo cognome non compare nella lista dei cognomi ebraici italiani

  • Responder janeiro 1, 2016

    Harlan Savian

    Boa noite gostaria de saber se o sobrenome Savian ou saviani é de descendência judaica.
    Obrigado.

    • Responder fevereiro 10, 2016

      Alexandre Leone

      No, questo cognome non compare nella lista dei cognomi ebraici italiani

  • Responder janeiro 15, 2016

    lucas

    meu sobrenome e Trevisan queria saber se tem possibilidade de ser judaico.

    • Responder fevereiro 10, 2016

      Alexandre Leone

      Nas listas comunitárias encontra-se o sobrenome Treves e Trevi, porém não Trevisan.

  • Responder fevereiro 7, 2016

    JAYME FREGATE

    O sobrenome de meu avô materno é : BAZANINI OU BAZANIN. Italiano.
    Há possibilidade, de ter origem judaica?

  • Responder fevereiro 10, 2016

    Alexandre Leone

    Esse sobrenome não aparece nas listas comunitárias judaicas italianas. Porém, numa lista do período da inquisição mexicana encotra-se o sobrenome Bazan ou Baza.

  • Responder fevereiro 10, 2016

    Alexandre Leone

    Como é possível perceber pelas respostas às diversas perguntas, sobrenomes judaicos italianos não são assim tão comuns. Isso ocorre em virtude de não haverem muitos judeus na Itália. Durante o século XX a população judaica na Itália decresceu de uns 50 mil para menos de 40 mil hoje. Muitos judeus italianos não têm sobrenomes italianos, mas, em vez disso, sobrenomes ibéricos, asquenazitas e orientais, assim, mesmo dentro da população judaica os sobrenomes italianos, apesar de maioria, não são o conjunto todo. Abraços

  • Responder fevereiro 13, 2016

    Marcia Maria Dotta

    Gostaria de saber de Dotta tem origem judaica.
    Obrigada

    • Responder fevereiro 25, 2016

      Alexandre Leone

      O sobrenome Dotta não consta nas listas comunitárias de judeus italianos. Abraços

    • Responder janeiro 1, 2017

      Rogério A Penasso

      Gostaria de saber se o sobrenome PENASSO consta em sua lista, enviei coleta de um exame de saliva para Boston/EUA .Em seu resultado pudemos constatar 62% de descendência de europeus da região do Mediterrâneo e 4% de Norte da África. Quando existe a combinação de ancestrais de países do Mediterrâneo europeu com Norte da África, mais especificamente Marrocos, a possibilidade de você ter um ancestral cristão-novo, conforme descrito acima, é muito grande. Vários judeus convertidos a cristãos-novos fugiram de Portugal para o Marrocos, Grécia, Turquia e principalmente para o Brasil. Pela combinação de 62% de europeus da região do Mediterrâneo e 4% do Norte da África, suas chances de descender de judeus que foram levados para Roma após a destruição do Templo no ano 70 d.C. é muito grande.

  • Responder fevereiro 14, 2016

    DIEGO ROSSO

    Boa tarde. O sobrenome Rosso tem origens judaicas?

    • Responder fevereiro 25, 2016

      Alexandre Leone

      O sobrenome Rosso é encontrado apenas na lista comunitária de Pádua.

      A variante Russo é encontrada em muitas comunidades judaicas na Itália e em diversos países. Abraços

  • Responder fevereiro 25, 2016

    Marcos Venicio Pini

    Boa Tarde gostaria de saber se o sobrenome Pini ou Indiani tem origens judaica
    Grato pela atenção

    • Responder fevereiro 25, 2016

      Alexandre Leone

      Nas listas comunitárias de judeus italianos não é encontrado o sobrenome Pini nem o sobrenome Indiani. Abraços

  • Responder fevereiro 28, 2016

    Julio Cesar Gusso

    Boa noite RABINO, tudo bem? O sobrenome GUSSO, teria alguma ligação com o povo hebreu? Atenciosamente.

  • Bom dia! Tenho os seguintes nomes na minha árvore genealógica, gostaria de saber da possibilidade de um deles ser de origem judaica/hebraica: Leoni, Moreno, Villa, Cavazzoni, Rosa, Menabue, Betuzzi, Grandi, Felici, Villa, Tomacelli, Dedvei, Bottini, Garavelli, Critoni (esse acredito que não!), Lomeu, Nascimento, Carvalho e Meirelles…. Obrigado!

  • Responder março 18, 2016

    Marcos Negrini

    Shalom Rabino,
    Gostaria de saber se fosse possível se o sobrenome Negrini possui ligações com a comunidade judaica italiana. Sei muito pouco sobre meu bisavo, oq sei é q ele era imigrante italiano e possuía conhecimento da Torá e do Tanakh. Agradecido.

    • Responder maio 9, 2016

      Alexandre Leone

      Os seguintes sobrenomes aparecem nas listas comunitárias judaicas italianas:

      Leoni, Moreno, Felici e Carvalho.

      São de origem judaica, porém não encontrados na Itália:

      Nascimento e Meireles.

      • Responder maio 10, 2016

        GUILHERME

        Muito obrigado, Rabino. Existe algum órgão ou instituição que possa me ajudar a descobrir de fato se esses meus antepassados eram Judeus/Hebreus ? Pode ser uma instituição italiana mesmo. Eu tenho documentos deles da Itália desde 1873.
        Muito obrigado!

    • Responder maio 9, 2016

      Alexandre Leone

      Negrini aparece em listas das comunidades turca e grega.

      • Responder agosto 23, 2017

        Regis

        Gostaria de saber sobre o nome Cipriano ele tem essa origem

  • Responder março 19, 2016

    Lucas Riquetto

    Olá gostaria de saber se o sobrenome Riquetto é encontrado em alguma lista judaica. Obrigado

    • Responder maio 9, 2016

      Alexandre Leone

      O sobrenome Riquetto não consta nas listas

  • Responder março 23, 2016

    Edson

    Olá

    Gostaria de saber se o meu sobrenome é judaico: “Reggiani”. Tenho pesquisado, mas ainda não consegui ter certeza. Encontrei o cantor francês de origem italiana judeu: Serge Reggiani, mas não sei se é um nome artístico. Ficaria honrado se souber que tenho origem judaica. Obrigado.

    • Responder maio 9, 2016

      Alexandre Leone

      Nas listas existe o sobrenome Reggio, porém não Reggiani

      • Responder maio 11, 2016

        Edson

        Será que Reggiani deriva de Reggio? Tenho a impressão que sim. Irei pesquisar. Muito obrigado, Alexandre.

        • Responder maio 12, 2016

          Alexandre Leone

          Pode ser que sim ou pode ser que não, tem que ver documentos

  • Responder março 24, 2016

    Gabriel Lukasevicius

    Shalom, Rabbi!

    Os sobrenomes Leo, Flora, Mazer/Maser/Meiser são encontrados em alguma lista Italkim?
    Sei que os sobrenomes são utilizados por judeus de outras comunidades, mas tive curiosidade quanto a utilização dos mesmos pela comunidade italiana.

    Existe alguma comunidade judaica restante hoje na região da Apúlia?

    Obrigado!

    • Responder maio 10, 2016

      Alexandre Leone

      Nem Leo, Flora ou Mazer/Meiser não constam nem nas listas italianas, nem no Dicionário Sefaradi de Sobrenomes.

      Embora na Idade Média os judeus habitassem principalmente o sul da Itália, desde o século 16 a maioria das comunidades está de Roma para o norte. Isso se deve a que os reis da Espanha, que também governavam o sul da Itália, expulsaram os judeus do sul. Há uma comunidade atualmente em Nápoles. Abraços

  • Responder março 27, 2016

    leonardo fernando caffarello

    shalom !

    Boa tarde, meu pai e italiano da familia Caffarello e minha mãe da família Carvalho, há possibilidade de serem judaicos?

    • Responder maio 10, 2016

      Alexandre Leone

      Carvalho é um sobrenome não apenas mencionado nos processos da inquisição, mas também encontrado em diversas comunidades de judeus sefaradim na Itália e em outros países. Por exemplo, é encontrado nas seguintes cidades: Livorno, Pisa, Veneza, Túnis, Amsterdam, Londres, etc.

      Abraços

  • Responder maio 6, 2016

    Marcus Vinicius

    Bom dia
    Meu sobrenome, por parte de pai, Perucci tem relação com os judeus italianos? Pergunto que lembro-me dos meus avós por parte de pai que tinham algumas práticas judaicas. Meu avô em especial, pois era de Veneza e casou-me em Ouro Preto.
    Obrigado.

  • Responder maio 6, 2016

    Marcus Vinicius

    Bom dia
    Meu sobrenome, por parte de pai, Perucci, tem relação com os judeus italianos? Pergunto porque lembro-me dos meus avós por parte de pai que tinham algumas práticas judaicas. Meu avô em especial, pois era de Veneza e casou-me em Ouro Preto.
    Obrigado.

    • Responder maio 10, 2016

      Alexandre Leone

      Perucci não consta nas listas.

      Abraços

  • Responder maio 18, 2016

    siro raimondi

    Os sobrenomes Manara, Vitale, Prima, Raimondi, Mombelli e Casiroli têm origem judaica?

  • Responder maio 18, 2016

    Vivian Mazzafera de Paulo

    Quero saber se o sobrenome Mazzafera consta na lista de sobrenomes judeus ou hebreus.
    Desde já agradeço

  • Responder maio 26, 2016

    Diego Lobo Caputi

    Gostaria de saber sobre esses sobrenomes, se constam na lista de sobrenomes judeus:

    – Caputo (Caputto)
    – Albano
    – Paolantonio
    – Formica
    – Avaglioni
    – Demarchi
    – Cardia
    – Giuliana
    – Cibella

    Muito obrigado desde já!

  • Responder maio 27, 2016

    Rogerio

    Shalom!!!
    Sobrenome Caneschi, está incluído em alguma lista?
    Grato

  • Responder junho 8, 2016

    Rogério Failaz

    Shalom, meu sobrenome é FAILAZ, família de descendentes da Itália…gostaria de saber se tenho origem judaica, pois as ações de meus avós afirmam que sim. Nasci no Rio de Janeiro, em Madureira. Alguns da família foram registrados como FAILACE ou FAILATZ.

  • Responder junho 11, 2016

    Jose Angelini

    Meu sobrenome é Angelini, meu avô por parte de mãe era italiano de Ancona. Esse sobrenome ANGELINI eu já vi na lista, gostaria de confirmar por favor?

  • Responder junho 11, 2016

    Jose Angelini

    A lista a que me refiro é de Samuel Schaerf, um historiador judeu do início do sec XX.

  • Responder junho 12, 2016

    Jose Angelini

    (refugiados espanhóis e portugueses que haviam se abrigado em várias cidades italianas, como Veneza, Livorno, Pisa e Roma.) Por que nesta citação vocês não incluíram a cidade Ancona? Meu avô era desta cidade, e consta que lá há muitos judeus tb.

  • Responder junho 26, 2016

    Regina celia .

    Shalom rabino, gostaria de saber sobre meus sobrenomes- Gonçalves dos Reis, Ribeiro, Falcão ou Farias – se são nomes sefardim, pois preciso detalhes para tirar dupla cidadania. Obrigada.

  • Responder junho 28, 2016

    Cassio Calabria

    Boa noite, Rabino. Como podemos ter informação sobre a origem do sobrenome Calabria sem incomodá-lo? Poderia fornecer alguma instrução para podermos aprender a pesquisar? Obrigado antecipadamente.

  • Responder junho 29, 2016

    EDUARDO RIZZO

    Boa tarde Alexandre,

    Os sobrenomes Rizzo ou Giacomo aparecem em alguma das listas ?

  • Gostaria de saber se o sobrenome Rossini é da Itália ou de outro país.
    Meu bisavô veio da Itália (Verona, Veneto), mas não consigo achar o registro de chegada no Brasil. Preciso de ajuda. O nome dele é Rossini Natalle. Quero que me ajude descobrir em que comuna foi registrado.

  • Responder julho 9, 2016

    Augusto José Zorgette

    Gostaria de saber se o sobrenome Zorgette ou Jorgette e se Sartori ou Sartore se encontram entre os sobrenomes de origem judaica.

  • Responder agosto 24, 2016

    Flavio

    Belíssimo texto! Abraços!

  • Responder setembro 11, 2016

    Carlos Alberto Zolin

    Gostaria de saber se o sobrenome Zolin tem origem judaica na Ucrania ou Italia.

  • Responder setembro 12, 2016

    jeziel salvatori

    Gostaria de saber se o sobrenome
    Salvatori é de origem judia

  • Responder setembro 13, 2016

    Ronaldo

    Gostaria de saber se o sobrenome Taberti (Tabertti/Tabercci), teria origem judaica. Obrigado.

  • Responder setembro 17, 2016

    OLGA PALMA PUGLIESE

    GOSTEI MUITO. A MINHA FAMÍLIA É DE BRINDISI CAROVIGNO -ITÁLIA. SUL DA ITÁLIA ” PALMA”, TEM RAÍZES JUDAICAS ?
    ?

  • Responder setembro 17, 2016

    OLGA PALMA PUGLIESE

    OBRIGADA !

  • Responder setembro 21, 2016

    Ben Hur Fabri

    Gostaria de saber se o sobrenome Fabbri tem alguma ligação judaica. Sei que muitos judeus adotavam nomes de plantas, cores e profissões, no caso o meu que é o plural de Fabbro, ferreiro.

  • Responder setembro 22, 2016

    Paulo Henrique Braganholli (Bragagnolo)

    shalom, Rabino Leone!

    Gostaria de saber se o sobrenome Bragagnolo está registrado nas origens judaicas.

    Agradeço pelo retorno!

  • Responder outubro 9, 2016

    Abdala

    Rabino,
    SHANÁ TOVÁ UMETUKÁ.
    Gostaria de saber se o sobrenome Minicucci é de origem judaica, pois é o sobrenome de minha avó materna.
    Obrigado.

  • BOA NOITE. MEU SOBRENOME É PACELLI E D’AMATO OU AMATTO. QUERIA SABER SE ESTES NOMES PODEM SER DE ORIGEM JUDAICA?

  • Responder outubro 25, 2016

    P Neri

    Bom dia,
    O sobrenome “Neri” está na lista de judeus italianos ?

  • Responder outubro 28, 2016

    Thiago Correia

    Meu Nome é Thiago Correia Bruno, Minha Avó e meu Avó por parte de Pai Francesco bruno é de origem Judaica?

  • Responder novembro 8, 2016

    Richard Paganotti

    Olá! Sobrenome Paganotti, paganot, paganoto, paganott tem alguma origem judaica?
    Obrigado

  • Responder novembro 18, 2016

    Eis de Paula Ferreira

    Erev tov Rabino
    Meus avós materna, Rizzo , Rontana , Pompéia, favor me dizer origem judaica?

  • Responder novembro 27, 2016

    Deborah Carbone

    Olá ! Os sobrenomes Carbone , Aurichio e Giancoli tem origem judaica ? Obrigada

  • Responder dezembro 1, 2016

    Maria Theresa Peralta

    Bom dia Rabi,

    Minha família veio do sul da Itália e ultimo nome do meu bisavó era Luca com um C, o nome do meio está incompressível, as gerações mais antigas da familia afirmavam que Pedro era judeu, é possível que este nome seja realmente judaico ?

  • Responder dezembro 11, 2016

    Victor Amato

    O sobrenome Fochi é de origem judaica italiana?

  • Responder dezembro 13, 2016

    Denilson Forato

    Shalom rabino, gostaria de saber se Forato (Furado), sobrenome da região do Veneto – It. é de origem judaica?

  • Responder dezembro 27, 2016

    Bruno

    Olá. Gostaria de saber se a origem do sobrenome italiano PONTARA é de origem judaíca, obrigado.
    Shalon

  • Responder janeiro 16, 2017

    Denilson Forato

    O sobrenome Forato de Veneza Itália.É de origem judia?

  • Responder janeiro 16, 2017

    Elder Fuzatto

    Olá gostaria de saber se o sobrenome FUZATTO ou alguma variante consta na lista
    Desde ja obrigado

  • Responder janeiro 24, 2017

    Josiel Amarildo dos Santos

    Gostaria de saber se o sobrenome salvia consta da lista

  • Responder janeiro 30, 2017

    Vinicius sperafico

    shalom, olá quero ter certeza de minha origem, bom minha bisavó melanie brum veio da italia, da região de apulia, sei que ela era filha de judia mas sua mãe faleceu, descobri mais porque ela era judia porque na italia não o sobrenome brum, e outro fato e que todos seus irmãos não tinham nomes italianos e sim de origem portuguesa com alberto angelica etc. tenho quase certeza absoluta que ela era sefardi porque passou costumes judaicos em nossa familia, seu sobrenome era brum, e sefardi ou bnei roma?

  • Responder janeiro 30, 2017

    Emanuella Bergamaschi Cuzzuol

    OS sobrenomes BERGAMASCHI e CUZZUOL são de origem judaica.

    agradeço desde ja.

  • Responder janeiro 30, 2017

    Emanuella Bergamaschi Cuzzuol

    gostaria de saber…

  • Responder fevereiro 8, 2017

    Richard Coelho

    Sou Zaccariotto. Meus antepassados vieram de Veneza. ZACCARI + OTTO. Alguma ligação com Zekariyah?

  • Responder fevereiro 13, 2017

    PAOLO REGISTRO

    Boa tarde;

    Parabéns pelo trabalho. Muito denso e esclarecedor.

    Uma pergunta: o Avô do meu pai é originário de Montecchio Maggiore – VENETO – e tem o sobrenome “REGISTRO”. Muito difícil de pesquisar. Há uma teoria de que teve origem no leste europeu e o nome “fabricado”.

  • Responder fevereiro 22, 2017

    Reginaldo

    Olá Rabino

    Agradeço pelo seu tempo e dedicação nos assessorando a saber mais sobre nossas raízes. Gostaria muito de descobrir se os sobrenomes de meus antepassados italianos e também de minha esposa são Judeus. São eles: Morlin, Mattana, Felipe, Fiore, Chiarelotto, Benvenutti.

    Muito obrigado

    Reginaldo

  • Responder fevereiro 26, 2017

    Selma

    Anna Giuffrida, esta na lista cd sobrenomes judaicos?

  • Responder março 19, 2017

    Eloi Martins

    Olá,
    Boa noite,
    Por gentileza podem informar se o sobrenome Capilla consta em vossos arquivos?
    Agradeço a gentileza.

  • Responder março 21, 2017

    Mirian Christina Scalia

    Olá, gostaria de saber se o nome SCALIA é de origem judaica. Obrigada!

  • Responder março 26, 2017

    Cristina Bonicenha Peres

    Shalom Rabino.
    Bom dia

    Sei que sou descendente por parte de pai que é Peres, sefarditas da Espanha.
    E gostaria de saber se os Boninsegna pronientes de veneza na Italia tambem são de origem judaica. Obrigada!

  • Responder março 27, 2017

    Wesley Lomeu

    Olá,
    Boa noite,
    Por gentileza podem informar se o sobrenome LOMEU consta nos arquivos?
    Obrigado.

  • Responder abril 10, 2017

    Marco

    Boa tarde,
    Gostaria de saber se Bassanesi consta em alguma base de dados?
    Muito obrigado

  • Responder abril 17, 2017

    carlos augusto da cruz novo

    Meus antepassados quando eram ricos era chamados de: os do Gaio.
    Eram de Viana do Castelo e quando ficaram pobres foram morar em uma chácara que não eram deles, foram morar em outro lugar mais ao sul e no interior perto de Braga e Barcelos.
    E deixaram de ser chamados pelo nome nobre: os do Gaio.
    Minha genética paterna é cohen.
    O que sabe no baco de dados judaico sobre o sobrenome: Gaio e Novo ente os judeus?

  • Responder abril 17, 2017

    carlos augusto da cruz novo

    Tinha em Portugal um judeu, está no site da Torre do Tombo, que o sobrenome ou o nome, ( acho que era sobrenome ) Gaio.
    Tem uns poucos judeus de sobrenome: Novo , não sei se todos de origem espanhola.
    Sobrenomes que começão com: K podem ter origem judaica.

    • Responder junho 4, 2017

      Alexandre Leone

      Prezado Carlos,

      Somente o sobrenome Gaio aparece em duas listas judaicas (ABH e TAV) referidas no Dicionário Sefaradi de Sobrenomes de Faingenboim, Valadares e Campagnano ligado a listas de 1492, ou seja, do século XV. Depois disso só foi registrado ligado a uma família de Esmirna, Turquia, também a séculos atrás.

  • Responder abril 27, 2017

    Dante Tamberlini Neto

    Inicialmente agradeço à voces, por existirem, e por este esclarecimento: o sobrenome
    ” T A M B E L L I N I ” (muito bonitinho) é de origem de cristão novo italianizado/convertido?
    Meu bisavô é originário da cidade de LUCCA (região da Toscana-média/alta Itália).
    Abraços e na espera de uma resposta (que nunca tive, nem através de velhos parentes).

    • Responder junho 8, 2017

      Dante Tamberlini Neto

      devo continuar `a espera? Acabo de assinar o Boletim…

  • Responder abril 29, 2017

    viviane

    E o sobrenome da minha família é uma incógnita: Era CORPI, chegou aqui e virou CORPO, o senhor teria alguma pista? Obrigada

  • Responder maio 23, 2017

    geraldo magela minelli

    Meu sobrenome é Minelli consta na lista há algum relato

  • Responder maio 26, 2017

    CLÁUDIA DE DONATO

    Parabéns pelo texto , muito bom.
    Por gentileza, gostaria de saber se os sobrenomes “De Donato”,” Lamanna” e La Porta”, provenientes de Polignano a Mare (é uma cidade da província de Bari), são de origem judaica.
    Na familia ha alguns costumes peculiares como :ao primeiro neto é dado o nome do avô, não misturamos carne com leite entre outros.
    Muito obrigada e a disposição.

  • Responder junho 2, 2017

    Daniel Arena

    Boa tarde…

    Procuro pelo sobrenome Arena na comunidade Judaíca.
    Queria saber se consta??

    Obrigado

    Daniel

  • Responder junho 8, 2017

    Vanessa

    Meus avós do lado Paterno vieram da Itália tem sobrenome Italiano Fioretti e Espanhol Arjona, Meus avôs por parte de mãe vieram da Espanha, sobrenomes Nunes, Nunes, Rubio, Garcia, todos e Garcia todos casavam com primos e parentes próximos minha mãe nao trabalhava aos sábados nem cozinhava e dizia q a roupa nova deveria ser usada no sábado , falavam um espanhol misturado. Consta estes sobrenomes Obrigada.

  • Responder junho 9, 2017

    Rubim

    Olá…fascinante seu texto. Parabéns!
    Gostaria de pedir gentilmente se o sobrenome RUBIM faz parte dos judeus italianos. Vieram para o Brasil da região de Pádova, Villa del Conti.
    Obrigado

  • Responder junho 30, 2017

    Valeria Leoni

    O sobrenome Leoni ou Leone tem procedência judaica? Qual a origem?

  • Responder julho 9, 2017

    Ana Paula

    Boa tarde . Gostaria de saber se o sobrenome Spinelli é de origem judaica.

  • Responder julho 13, 2017

    Dante Tamberlini Neto

    devo continuar esperando um esclarecimento?através do meu e-mail ou constantemente procurar neste site?obrigado Dante Tamberlini Neto – “dtamberlini@uol.com.br” – tel.(11)999391625.

  • Responder julho 19, 2017

    Magno Quirino

    Shalom Khaver… Tenho nas raízes da minha familia os sobrenomes, Quirino Costa e Ribeiro Leite, por parte de mãe. Ainda há traços da cultura judaica nos antepassados, dos meus bisavós… Porem não tenho certeza se são adquiridos por convivência com judeus ou por orígenes verdadeiras. Gostaria de ajuda e saber o que significa ashkinazim. Agradeço muito…

  • Responder agosto 7, 2017

    Deyse

    Muito bom o texto! A minha família é Bagatini, e observamos que no Brasil está o maior contingente de famílias com esse sobrenome , e não na Itália…. Por gentileza, gostaria de saber se ” Bagatini”é de origem judaica. Muito obrigada pela atenção.

  • Responder agosto 15, 2017

    Geovanny

    Oi eu queria saber se tenho descendência judaica , o meu nome é Geovanny Cavalcante de Souza .

  • Responder agosto 21, 2017

    Viviane Peres

    Bom dia,

    Venho a muito tempo achando que o sobrenome da minha bisavó era Lucaliolli e nunca achei nada. Agora pesquisei e achei a certidão de nascimento e vi que o certo é Lucagliolli. Pois quase não acho nada sobre este sobrenome.Poderia verificar se tem Lucagliolli?

Deixe uma repost Clique aqui para cancelar a resposta.

Deixe uma resposta para Deyse Cancelar resposta